quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Cuidados com os Olhos - Cães e Gatos


Quase todos os animais domésticos, principalmente cães e gatos, podem apresentar várias doenças nos olhos. A mais comum é sem dúvida a conjuntivite e a ceratite, pois as córneas são atingidas e observamos secreção amarelada e vermelhidão dos olhos. Um cuidado inicial com o animal deve ser o de verificar se não existem pelos ou mesmo cílios que possam estar encostando nas córneas, pois isso pode causar uma úlcera de córnea por traumatismo repetitivo. Se isto estiver ocorrendo, leve o animal ao veterinário para aparar os pelos e fazer a depilação dos cílios que estiverem "raspando" na córnea.

Não inicie qualquer tratamento de ceratoconjuntivite sem indicação médica, pois alguns colírios são compostos de corticóides que favorecem o crescimento de fungos, caso sejam os causadores da lesão. O uso indiscriminado de corticóide pode até mesmo levar à perfuração da córnea! Portanto todo cuidado é pouco.

Os cuidados com os olhos não são tão complexos para a maioria das raças de cães e de gatos, exceto para aqueles que têm olhos proeminentes, que é o caso dos shih tzus, onde as chances de ferimentos são maiores.

Em razão dos olhos serem grandes e bem expostos, eles machucam com mais facilidade, podem esbarrar em objetos, plantas, brincadeiras com outros animais, ou o próprio animal ao se coçar.

Claro que acidentes podem ocorrer com qualquer animal, gatos podem sofrer arranhões durantes brigas, pelos podem entrar causando desconforto, com isso, o animal coça e se fere.
Mas, voltando ao assunto dos cuidados básicos, esses se aplicam as raças que tem o focinho curto (achatado) como os shih tzus , gatos persas, entre outros "amassados". O focinho curto pressiona as glândulas lacrimais, ativando a produção excessiva de lágrimas.

Os animais de pelagem branca, como maltês e poodle, acabam ficando com manchas de lágrimas e secreções oculares nos pelos ao redor dos olhos. Isso ocorre mais em alguns animais e menos em outros, vai da genética do próprio animal. O pelo fica manchado, pois a lágrima é ácida e "queima" o pelo. Não existe um método para evitar que o animal libere a secreção, até porque a lágrima tem importante função de proteção dos olhos, como impedir a entrada de microrganismos e até mesmo ciscos, pelos e afins. Protege também de lesões na córnea. Então, o que se deve fazer é a limpeza dos olhos nesses cães predispostos, se possível todo dia. Se não for possível, pelo menos três vezes na semana.

A limpeza deve ser feita com gaze (melhor que o algodão, que pode soltar fiapos que entram no olho do animal) e solução fisiológica, soro desses comuns de farmácia mesmo. Lembre-se de guardar na geladeira após aberto, senão ocorre contaminação. Caso não seja possível usar o soro, faça com água morna. Procure passar apenas em volta dos olhos pra não levar contaminação pra dentro do olho.

Importante: Se o seu animal apresenta algum sinal de irritação, não arrisque utilizar qualquer colírio, leve rapidamente ao veterinário. Um colírio incorreto pode causar várias complicações na cicatrização do olho acometido.

Outro problema muito comum em cães é a catarata, que é uma opacidade do cristalino, e ocorre principalmente em cães senis. Não existem colírios nem medicamentos que resolva o problema, mas cirurgias já têm sido feitas em cães, com 90% de sucesso. A cirurgia é eletiva (nome dado a uma cirurgia que não é fundamental para que o animal viva), já que muitos cães vivem com catarata sem maiores complicações. A cirurgia é custosa e requer extrema disponibilidade do proprietário para colocar colírios no pós-operatório.

Existem diversas outras doenças que ocorrem em cães, mas o objetivo aqui é apenas orientar para que o proprietário saiba diferenciar quando algo errado está acontecendo do que é fisiológico, procurando assim seu médico veterinário de confiança que tomará as providências necessárias para a saúde de seu animal.

Fontes:

http://raquelvet.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...